CAT:17 Posts tagged "Indie"

St. Vincent – Los Ageless / New York

Acompanho há anos a carreira da americana Annie Clark, aliás St. Vincent, uma das figuras mais criativas da música internacional atual: seu som é pop mas experimental, suas melodias grudam no ouvido, suas letras são ácidas, sua voz é potente sem cair pro padrão “diva”. Já dividiu um álbum com David Byrne (“Love This Giant”, 2012) e agora acaba de lançar seu 5º álbum de estúdio, “Masseduction”. Os primeiros singles já ganharam clipes super estetizados e com cores vibrantes: o tecnopop oitentista Los Ageless e a emocional New York. Confira:

Natura K – Beira Mar (cover de Zé Ramalho)

Para lançar o perfume masculino “K” da Natura, o paraense Saulo Duarte – da banda independente Saulo Duarte e a Unidade – regravou a canção “Beira Mar”, de Zé Ramalho. Originalmente um baião gravado em 1979, aqui ela ganha roupagem de maracatu, com seus tambores pesados e sincopados, e guitarras que remetem ao Mangue Beat dos anos 90. A nova versão foi parar no comercial que o diretor Manuel Nogueira filmou pela Conspiração Filmes, com criação da DPZ&T:

Aqui, o making of da nova versão:

E aqui, a gravação original de Zé Ramalho:

Warpaint – New Song

Warpaint é um quarteto feminino de Los Angeles, que em seus dois albuns anteriores desenvolveu um rock dançante de andamento médio, quase intimista. Nunca tocaram para incendiar a platéia, mas a faixa “New Song” do recém lançado “Heads Up” preenche bem a lacuna da festa. A música foi lançada em agosto, antecipando o album que saiu no final de setembro.

“New Song” tem aquela batida que você encontra nos discos do New Order (mas sem a produção pop, carregada na pressão, que os anos 80 exigiam deles). Logo na abertura a melodia cantada e dublada com a guitarra já funciona como um gancho pop eficiente e dançante.

We Were Evergreen – Baby Blue / Daughters / Best Thing

Sim, isso é antigo – na velocidade da internet, quase medieval. Mas e daí? Descobri agora e acho que tem uma graça, leveza e humor que vale a pena compartilhar. We Were Evergreen é um trio parisiense indie, cantando em inglês e misturando eletrônica com ukulele, pianos elétricos e caixinhas de música. Uma sonoridade que já não soa nova, mas funciona bem. E as melodias são boas, assobiáveis, bem pop.

“Baby Blue”:

“Best Thing”:

“Daughters”, com uma levada meio axé music (!!!):

PJ Harvey – The Wheel

Ouço PJ Harvey há muitos anos e uma das coisas que mais gosto em seu trabalho é a forte personalidade de suas gravações. Sem nunca sair do território do rock’n’roll e de suas cancões diretas, a cantora e compositora britânica consegue experimentar com formatos, arranjos e instrumentos, mantendo-se pop ainda assim.

“The Wheel” é o single de seu recém lançado “The Hope Six Demolition Project”. As imagens do clipe foram gravadas em Kosovo, Sérvia, Macedônia e Grécia. O tema da canção é a guerra e seus ciclos de destruição, sempre retornando. Como a roda da fortuna (“the wheel”).

Deerhunter – Snakeskin

Agora ouça. Não precisa esforço. A guitarra fará o resto por você, que em instantes estará hipnotizado.

Com um single que remete ao pop rock dos anos 70 mas também ao rock cru dos 90 (de bandas como Jane’s Addiction em “Been Caught Stealing“), o quarteto americano Deerhunter lançou esta semana o single “Snakeskin”. O clipe antecede o próximo album da banda, “Fading Frontier”, que sai em outubro. E por enquanto dá pra ir curtindo essa que é uma faixa dançante com uma boa pegada funky e relaxada, na guitarra e na batida da bateria. O terço final da música é “viajandão”, cheio de efeitos, ecos e guitarras em reverse (tocadas ao contrário) sobre sua base requebrante. Enjoy and join: